A obesidade infantil está associada a riscos na fase adulta

A obesidade infantil ocorre quando uma criança está com o peso maior que o recomendado para sua idade e altura. É importante entender as causas e as consequências da doença para agir de maneira assertiva, evitando-se consequências sérias para a saúde da criança no futuro.

Os primeiros anos de vida são um período importante para a descoberta de preferências por alimentos e sabores, para o desenvolvimento de práticas saudáveis familiares (alimentação + exercícios físicos), e para a percepção de suscetibilidade a sobrepeso e obesidade futuramente. O sobrepeso nos primeiros meses de vida tende a aumentar o risco de sobrepeso na média infância e evolução para obesidade na fase adulta.

Os quilos extras podem ter consequências até a sua vida adulta e acarretar em diversos problemas de saúde. Doenças como hipertensão, diabetes, depressão e baixa autoestima podem ser provenientes da obesidade infantil não tratada.

Estudo realizado pela Imperial College em Londres em parceria com a Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que a obesidade infantil atinge atualmente dez vezes mais crianças e adolescentes do que em 1970. Isso significa que nos últimos 48 anos o número de crianças e adolescentes obesos – entre 5 e 19 anos – aumentou dez vezes, correspondendo a 124 milhões de pessoas nessa situação.

Causas

Diversos fatores podem ser a causa da obesidade infantil; sendo as mais comuns: condições clínicas, a baixa qualidade da alimentação, o sedentarismo e fatores genéticos. Quanto mais cedo  a doença for diagnostica e tratada maiores são as chances de controle da doença na vida adulta.

Fatores de risco

Conheça alguns fatores que podem aumentar o risco de obesidade infantil:

Má alimentação

Dieta desequilibrada, consumo constante de fastfood e industrializados, refrigerantes, doces e frituras em excesso.

Histórico familiar

Uma vez que a doença tem influência genética e os maus hábitos podem ser passados de pais para filhos, gerando um ciclo.

Fatores psicológicos

O estresse ou tédio podem fazer as crianças comerem excessivamente sem necessidade.

Sedentarismo

A falta de atividade física na rotina da criança colabora para o ganho de peso.

Excesso de tela

A facilidade diária proporcionada pelos avanços tecnológicos (computadores, videogames, televisão) fazem com que crianças e adolescentes não precisem se esforçar fisicamente em muitas atividades, levando-as a passarem horas em frente a equipamentos eletrônicos acompanhados de fastfoods e refrigerantes.

Tratamento em família

Os pais têm um papel fundamental a desempenhar para ajudarem seus filhos no desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis e estilo de vida ativo. A criança precisa envolver-se no tratamento assim como a família, pois o foco é educar-se a longo prazo, elaborar um cronograma saudável, balancear o peso e fazer disso uma rotina.

Nosso Programa de Obesidade Infantil

Os profissionais do Diabetes Saúde elaboraram o Programa de Obesidade Infantil, visando conscientizar pais e filhos sobre a importância de se criar e manter uma rotina saudável no período de 6 meses. O Programa é inovador, personalizado e conta com uma equipe interdisciplinar. Conheça o nosso programa:

O que está incluso?

  • Consulta psicológica com a família no terceiro mês de tratamento. Profissional identifica os desafios e indica estratégias para lidar com os mesmos.
  • 3 consultas com o Endocrinologista Pediátrico que vai diagnosticar se sobrepeso está sendo gerado por alguma condição médica e se já há consequências para a saúde da criança.
  • 2 consultas nutricionais para elaborar planos nutricionais individuais para o paciente e orienta-lo como manter uma rotina saudável.
  • 2 consultas com educador físico que vai orientar como inserir mais atividade física na rotina da criança.

Duração: 6 meses

Quem pode fazer?

Crianças de 6 a 12 anos.

Conheça a equipe que vai te atender.

Tenho muito orgulho em dizer que os nossos profissionais têm muita experiência e são todos especializados em obesidade e diabetes.

Dra. Laura Barçante Pinto

Endocrinologia

CRM 61599 I RQE 42074


Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais
Residência em Clínica Médica pela Santa Casa de Belo Horizonte
Residência em Endocrinologia, pela Santa Casa de Belo Horizonte

Dra. Luciana Valadares Ferreira

Endocrinologia

CRM 59023 | RQE 28201


Mestranda em Educação em Diabetes na Santa Casa de Belo Horizonte
Docente na pós-graduação lato sensu em Endocrinologia do IPEMED
Preceptora do ambulatório de endocrinologia da disciplina Saúde do Adulto da graduação em Medicina da FAMINAS

Dra. Paloma Fonseca

Endocrinologia

CRM 55533 | RQE 40804


Graduação em Medicina pela Universidade Federal De Minas Gerais (UFMG)
Residência em Clínica Médica, pelo Hospital da Policia Militar de Minas Gerais
Residência em Endocrinologia, pela Santa Casa de Belo Horizonte

Érica Queiroz Dias Corrêa

Nutrição

CRN9 12436


Nutricionista graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais
Pós-graduanda em Formação de Educadores em Diabetes pela Universidade Paulista
Experiência em Educação em Diabetes, incluindo projetos na universidade e trabalho na indústria farmacêutica

Sheyla Geralda Cordeiro Ferreira

Nutrição

CRN9 2197


Mestranda em Educação em Diabetes pelo IEP Santa Casa BH
Especialista em Nutrição Clínica pelo Centro São Camilo
Graduada pelo Uni BH
Atuou como Nutricionista Clínica e Palestrante em Grupos Operativos do Centro de Promoção da Saúde Unimed BH e no Hospital Dia Unimed BH

Stephanie Araújo Oliveira Rezende

Nutrição

CRN9 914860


Nutricionista pela Universidade Federal de Ouro Preto
Nutricionista do Programa Educacional – Diabetes Weekend
Mestranda em Educação em Diabetes – IEP – SCBH

Karima Fernanda Rosa Simão Martins

Psicologia

CRP 20435


Psicóloga Clínica e Hospitalar
Docente dos cursos de Pós-Graduação UNA e IEP – Santa Casa BH
Mestranda do Mestrado Profissional em Educação em Diabetes – Santa Casa BH
Psicóloga do Ambulatório de DM1 da Santa Casa BH

Bia Bicalho

Educação Física

CREF 00422G / MG


Especialista em Fisiologia do Exercício
Docente do Centro Universitário Estácio de BH
Mestranda em Educação em Diabetes no Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de BH

Como eu faço para começar?

 

É simples. Basta deixar seu nome e telefone aqui que te ligamos.
Se preferir, você pode entrar em contato conosco pela Central de Atendimento, pelos telefones
(31) 3565-8008 | (31) 99471-6418

Espero ter ajudado e espero ser a sua parceria neste desafio do controle do peso de nossas crianças.

Sobre Mim

Dra. Janice Sepúlveda Reis

  • Coordenadora do Ambulatório de Diabetes Tipo 1 da Santa Casa de BH
  • Vice-presidente eleita da Sociedade Brasileira de Diabetes 2018-2019
  • Docente Pesquisadora Titular II-Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de BH
  • Coordenadora do Mestrado Profissional em Educação em Diabetes – Santa Casa de BH

Diretora Técnica | Endocrinologista
CRM 34658 | RQE 19317

Agende
//]]>